Aprendendo a programar em Python – Parte 3

Para quem está aprendendo a programar em Python ou qualquer outra linguagem, trabalhar com aquivos abre um leque de possibilidades muito grande. Nesse post, abordarei como tratar arquivos. Abrir, ler e gravar arquivos. E essa é uma tarefa bastante fácil no Python, sendo que com três linhas, como veremos abaixo, já é possível ler todo o conteúdo de um arquivo.

Abrindo arquivo para escrita

Abaixo um código simples para abrirmos um arquivo de texto e escrever nele.

arquivo = open("C:\\teste.txt","w")
arquivo.write("Texto arquivo")
arquivo.close()

Continue lendo

Aprendendo a programar em Python – Parte 2

Venho mostrar nesse segundo post, alguns pontos importantes para quem está aprendendo a programar em Python. No primeiro post, mostrei o básico, como a instalação do ambiente para desenvolvimento com o Python e como realizar operações aritméticas e concatenação.

Scripts Python

Diferente do primeiro post, não vamos utilizar o IDLE em tempo de execução. Criaremos um arquivo a extensão .py, que será o arquivo onde escreveremos o script.

Continue lendo

Desenvolvendo um aplicativo para Windows 8 pt. 2

No primeiro post falei o que me motivou a desenvolver um aplicativo para Windows 8[bb]. Hoje trago como que me preparei para iniciar o desenvolvimento.

Como disse no post anterior, nunca havia desenvolvido para a plataforma e apesar de já desenvolver para plataforma Windows, tive aprender o novo conceito de aplicativo que Microsoft propõem para o Windows 8. E foi por ai que comecei.

Estudando o conceito de design de aplicativo para Windows 8

Na página de para inicio de desenvolvimento (Get Started) para a plataforma, existe uma lista de coisas para serem feitas antes do desenvolvimento. Essa lista engloba desde o download de ferramentas, tutoriais básico até a parte de design do aplicativo.

Resolvi da uma atenção especial para o que dizia respeito a layout de aplicativo. Existem regras que devem ser seguidas para que a experiencia do usuário seja a mesma em todos os aplicativos, não em funcionalidade, mas na forma como o usuário interage com a aplicação. Por exemplo, um usuário sempre clica com o botão esquerdo do mouse, ou toca e segura em tablets, espera que seja aberta uma barra na parte inferior ou superior da tela com ações que ele pode executar.

Diretrizes para tamanho de aplicativo para Windows 8

Diretrizes para tamanho de aplicativo (Fonte: msdn.microsoft.com)

Além disso, existe todo um conjunto de regras a respeito, por exemplo, da distancia entre objetos que façam parte de uma mesma área e a distancia que essa área deve ter de outra. Tudo isso deve ser seguido, para que a experiencia do usuário seja sempre agradável.

Estudando API

Como ainda não finalizei o aplicativo que estou desenvolvendo, não colocarei qual serviço estou acesso via API. Mas, independendo do dado que será tratado e exibo no aplicativo, um coisa que tem que ser muito estudada para é a API.

Alguns ponto importantes que devem ser levados em consideração antes de iniciar o desenvolvimento, são:

  • O serviço disponibilizar uma forma mais fácil para acesso ao dados? Por exemplo uma SDK.
  • O tipo de dado que a API retorna. Esse é um ponto que deve ser considerado antes de mais nada, porque algumas pessoas, pelo seu conhecimento, preferem trabalhar manipulando dados em formato XML, outras em JSON. Este  ponto pode estar ligado diretamente ao primeiro. Ao disponibilizar uma SDK, não necessariamente, esta se adequará a maneira que você pensou em tratar os dados.

Bom, por hoje é só. Numa próxima trarei algum código interessante e dicas de programação para a plataforma Windows 8.

Desenvolvendo um aplicativo para Windows 8

O que pensei em fazer aqui, é trazer o que eu precisei para desenvolver um aplicativo para Windows 8[bb]. Como nunca desenvolvi algo para esse plataforma utilizando os moldes estabelecidos pela Microsoft, achei que seria bacana compartilhar o que estou aprendendo.

A escolha da plataforma

Como já desenvolvo para Windows, fiquei curioso quanto a criação de aplicativo para o novo sistema da Microsoft. Apesar de poder utilizar os conhecimentos que tenho em desenvolvimento de software, percebi de cara, que tinha que mudar um pouco a forma de pensar. Não o pensamento lógico para criação do código, mas como a aplicação se comporta perante o sistema operacional e como o usuário interage. Isso inclusive fica bem claro nas documentações iniciais que a Microsoft disponibiliza para quem está começando a desenvolver para Windows 8.

Modelo de app rodando em simulador do Windows 8

Os passos iniciais que segui para criar o aplicativo para Windows 8

A primeira coisa que surgiu, foi a vontade de criar um aplicativo sem saber o que iria criar. Em seguida pensei o que eu poderia criar; sobre o que seria o aplicativo.

O aplicativo consiste em acessar os dados de um serviço via API* disponibilizada por este e exibir os dados ao usuário, permitindo que ele interaja com o serviço de forma amigável por meio de interface baseada no Windows 8.
Logo em seguida defini que linguagem de programação utilizaria. Escolhi o Javascript, uma nova maneira para criar aplicativos para Windows (desktop). Utilizando juntamente com o CSS e o HTML 5, é possível criar aplicativos que rodam sobre uma base de navegador (IE 10), mas que para o usuário, não tem diferença entre este ou um criado em VB .NET ou C#. Escolhi o Javascript porque a empresa do serviço que acesso, já disponibiliza uma SDK** para facilitar o desenvolvimento com essa linguagem.

Na próxima postagem, vou abordar a parte que estudei para começar o desenvolvimento do aplicativo.

* API (Application Programming Interface) é formada por uma série de funções acessíveis somente por programação, e que permitem utilizar características do software (Wikipédia). Imagine uma caixa fechada, simbolizando um serviço, e para ter acesso ao que está dentro da caixa, você entrega um bilhete dizendo o que você quer para alguém. Essa pessoa sabe exatamente como estão as coisas dentro da caixa, então, ela pega o que você pediu no bilhete, e te entrega; essa pessoa é a API (Eu).

* SDK, é a sigla de Software Development Kit. São disponibilizados por empresas ou projectos opensource para que programadores externos tenham uma melhor integração com o software proposto (Wikipédia).

Vídeo

Do nada ao básico com Visual Basic .NET Parte 2

Nessa sequencia de vídeo aulas eu vou mostrar desde o inicio a montagem de um projeto básico, voltado para quem está iniciando em VB .NET.
Nessa segunda parte eu mostro como montar uma estrutura de decisão.
Se ainda não viu a Parte 1, é muito importante vê-la para entender tudo.

Download do Projeto usado